Canto dos Estudiosos: Por que Jesus transformou água em vinho

Um profundo simbolismo pode estar registrado no centro do primeiro milagre de Jesus: a transformação da água em vinho. Eric D.Huntsman escreveu na edição de estréia de “Estudos na Bíblia e Antiguidades” sobre “imagens de sangue e água” no Evangelho de João e como que as imagens podem explicar por que o primeiro milagre de Jesus foi um sinal de sua filiação divina.

Os quatro evangelhos do Novo Testamento abordam a vida de Cristo a partir de diferentes pontos de vista com diferentes públicos em mente. O Evangelho de João é particularmente único na abordagem que faz. Huntsman, professor associado de escrituras antigas daBYU, traçou o simbolismo de sangue e água nos escritos de João.

Sangue é um símbolo da mortalidade. É o que alimenta corpos terrestres (ver Gênesis 9:4).

A água é símbolo de vida eterna. Ele representa o espiritual.

O primeiro nascimento é o de carne e osso. O segundo nascimento é o da água e do espírito (João 3:3-5).

“A correlação do sangue com a mortalidade de um lado e a água com a vida espiritual – até mesmo o divino ou eterno – do outro pode ser consistentemente aplicados em todo evangelho de João”, escreveu Huntsman.

Membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias estão familiarizados com o vinho sendo comparado com o sangue. Mesmo que o Evangelho de João não mencione a instituição do sacramento diretamente, a idéia do vinho representar o vinho não é uma idéia estranha.

O relato do casamento em Caná (João 2:1-11) fala do milagre de Jesus de transformando água em vinho como “o começo dos milagres.” Huntsman escreveu que a palavra traduzida como “milagres” também poderia ser traduzido como “sinais” ou “sinais miraculosos”.

“Em vez de subestimar a realidade e o poder dos milagres de Jesus”, escreveu Huntsman “, esta tradução enfatiza que o (sinais miraculosos) simbolizam ou ensinam sobre Jesus… ao invés de focar os atos em si.”

Huntsman explicou que muitos comentaristas, incluindo os Mórmons, olharam para múltiplas interpretações da transformação da água em vinho. Alguns vêem uma substituição de rituais judaicos, com o sangue de Cristo, outros olham para as implicações da abundância nos 120 galões de vinho criados, e outros ainda pensam sobre o sacramento, ou o poder de Jesus sobre os elementos.

Mas olhando para o simbolismo do evento produz significado mais profundo.

“O contexto deste milagre sugere uma conexão com a relação de Jesus, o noivo, e a igreja, a noiva”, escreveu Huntsman (ver João 3:29, Apocalipse 21:1-9, D & C 65:3 e D & C 133:10) .

O papel de Maria neste milagre é particularmente significativo, Huntsman escreveu, sobretudo porque ela é mencionada somente em dois lugares no Evangelho de João – aqui em Cana e mais tarde na cruz. Ao contrário de Mateus e Lucas, ela não é mencionada em qualquer narrativa da natividade – ou ela é?

João não menciona o nome de Maria em seu Evangelho, mas a chama de “a mãe de Jesus.” Jesus a chama simplesmente “mulher”.

“Embora tenham sido feitos esforços para explicar a referência  de Jesus a ela como “mulher” como um sinal de respeito ou deferência, há poucos precedentes para isto tanto em grego ou o presumível aramaico original presumido de Jesus “, escreveu Huntsman.

Em vez disso, Huntsman sugeriu que a evasão de seu nome específico individual “pode muito bem ter um efeito de generalização, conectando Maria com Eva”.

A ênfase que Huntsman escreveu, parece ser a “verdadeira relação de Maria e Jesus.”

“O papel de Maria na concepção de Jesus foi especificamente para trazê-lo a um estado mortal ou terrestre”, escreveu Huntsman. “Como Eva foi a agente pelo qual a humanidade foi trazida para a mortalidade, Maria foi o meio pelo qual a pré-mortal ,espiritual e divina Palavra se tornou o Jesus terreno.”

A água transformada em vinho / sangue. A entrada eterna na mortalidade. Jeová se transformou em Jesus.

A descrição do milagre de Caná pode ser a forma simbólica de João para contar sobre a natividade, Huntsman escreveu.

Se for, então este primeiro milagre ou sinal do ministério de Jesus aponta diretamente para o primeiro milagre e sinal de condescendência de Cristo: “O Verbo se fez carne e habitou entre nós” (João 1:14).

Este artigo é baseado nos artigos de Eric D. Huntsman “ E o Verbo se fez carne”: Uma explicação detalada e pessoal dos Santos dos Últimos dias da Imagem do Sangue e Água no Evangelho de João” em “Estudos na Bíblia e Antiguidade”, vol. 1, 2009 publicado pelo Instituto paraBolsasd e estudo para Religião Neal A. Maxwell na BYU.

Dê a sua opinião

Diga o que você esta pensando...
e se você quiser escolher uma foto para aparecer no seu comentário, crie um avatar!